Como Separar as Pessoas do Problema? Paulo Antônio Almeida

Como Separar as Pessoas do Problema?

Paulo Antônio Almeida

A NETFLIX lançou a Serie BODYGUARD, que retrata a saga de um guarda costa em seu trabalho. Em um capítulo  especifico o personagem negocia com uma terrorista suicida a sua desistência em  praticar o ato. A cena da negociação ilustra muito bem o processo de Como Separar as Pessoas do Problema?  –  e ser bem sucedido.

O ator Richard Madden desenvolve a cena demonstrando seu controle emocional e também sua sensibilidade no processo de negociação com a terrorista Nadja. http://blogs.correiobraziliense.com.br/proximocapitulo/bodyguard-levanta-debate-sobre-o-que-esta-por-tras-do-terrorismo/

No livro, Como Chegar ao Sim!, os autores William UryRoger Fischer,(  https://www.williamury.com/pt-br/ ) desenvolvem uma metodologia de negociação (Método Havard de Negociação), onde sintetizam as estratégias para se obter os sucesso nos acordos em  4 fatores essenciais:

#Separe as PESSOAS do Problema

#Concentre-se nos INTERESSES, não nas POSIÇÕES

#Crie OPÇÕES de ganhos mútuos

#INSISTA EM CRITÉRIOS OBJETIVOS

O foco desse artigo é o  fator “Separe as Pessoas do Problema” ,  subdivido nas seguintes 3 sub-categorias:

  • Percepção
  • Emoção
  • Comunicação

Em relação à Percepção, os estudos da neurociência (http://books.scielo.org/id/mqfvk/pdf/leote-9788568334652-07.pdf) demonstram que, em muitos casos, a nossa percepção é equivocada, e que necessitamos partir dessa premissa do equívoco das nossas mentes, para buscar compreender a percepção e o ponto de vista do outro, para separar as pessoas do problema.

Os autores   William UryRoger Fischer propõem  4 etapas para se obter o êxito nessa tarefa.

  • Discutir as percepções de cada um: ou seja, você estimular o diálogo demonstrando quais são as suas percepções sobre o tema em questão, e esclarecer que seus pontos de vista podem ser alterados, pois a nossa percepção é também possível de ser alterada.
  • Agir de maneira contraditória do que o outro espera: nesse caso, o autor propõe a escolha de um gesto inesperado para buscar a paz no conflito. Um bom exemplo, foi a atitude da primeira ministra da Nova Zelandia, Jacinda Arden (https://www.youtube.com/watch?v=1ZITl3O5sXo) que se vestiu com um véu na cabeça, de acordo com os costumes mulçumanos para demonstrar o seu apoio à comunidade mulçumana quando sofreu o ataque terrorista em 2019.
  • Envolver o outro nos processos: esse fator indica que precisamos envolver as pessoas nas decisões, estimulando-as a participarem e contribuírem com as suas ideias a fim de se chegar em um acordo que seja produzido por todos os envolvidos. Quando as pessoas participam das decisões com suas próprias ideias, o comprometimento delas é maior.
  • Preservar a imagem dos negociadores: nesse caso é fundamental evitar expor a outra parte de uma forma negativa ou pejorativa. Preservar a imagem dos envolvidos garante uma relação saudável no futuro , e também melhores negociações e resultados.

Em relação ao fator emoção, os autores reforçam os conhecimentos que possuímos sobre a Inteligência Emocional, no livro do autor Daniel Goleman (http://www.danielgoleman.info/topics/emotional-intelligence/) ; e assim termos sucesso em separar as pessoas do problema.

  • Reconhecer as suas emoções e as do outro: O primeiro passo para a inteligência emocional é desenvolver a habilidade de reconhecer as emoções em si mesmo e nos outros. Um guia prático para essa habilidade são os estudos do autor Paul Ekman, demonstrou que as 4 emoções básicas (Amor, Ódio, Tristeza e Medo) são reconhecidas em todas as culturas humanas, e são as raízes para as demais emoções.
  • Deixar que o outro desabafe: o desabafo é um ato legítimo que merece o nosso cuidado e atenção. Permitir e abrir espaço para o desabado nas negociações é compreender a necessidade do ser humano de equilíbrio e de demonstração das suas emoções.
  • Explicitar as emoções: Colocar palavras e elaborar as emoções é uma arte que precisa ser desenvolvida para gerar maior clareza na comunicação, como também mais saúde e bem estar.
  • Não reagir a explosões emocionais: esse ponto é fundamental, pois manter o controle das emoções nos momentos de estresse possibilita o alcance de resultados satisfatórios eficazes.
  • Usar gestos simbólicos: Por exemplo, oferecer uma flor para a outra pessoa é um símbolo de cordialidade que traz equilíbrio e paz para se aprofundar o diálogo em uma negociação.

A comunicação é um desafio para todas as pessoas. Comunicar com clareza e assertividade é uma conquista diária que envolve dedicação e treinamento, e é fator fundamental para se separar as pessoas do problema. Os autores declaram que :

  • Evitar falar para a plateia, mas buscar um diálogo construtivo – feedback sobre o que ouviu: vale a pena ouvir o outro de uma forma individual ou  ter poucas pessoas na sala para se oferecer um feedback positivo e aumentar a clareza da comunicação.
  • Evitar mal entendidos – falar sobre si mesmo e não sobre o outro. É importante evitar acusar o outro e falar sobre seus sentimentos sem agredir a outra parte.
  • Falar com um objetivo: ao se comunicar é preciso ter um foco definido em um tema para que a comunicação não tenha ramificações desnecessárias.

O que é Mindfulness – Técnica de Coaching – Paulo Antônio Almeida

Mindfulness é uma metodologia desenvolvida principalmente, pelo autor
Jon Kabat-Zinn .
https://www.mindfulnesscds.com/

John Kabat-Zin é o fundador do Programa de Mindfulness de Redução de Stress da Universidade de Massachussets, nos EUA.
https://www.umassmed.edu/cfm/about-us/people/2-meet-our-faculty/kabat-zinn-profile/

O Programa de Redução de Stress através do Mindfulness consiste em 8 semanas de práticas com o objetivo de treinar a pessoa a aumentar sua capacidade de equilíbrio físico, emocional, neurológico e espiritual.

A palavra em inglês Mindfulness pode ser traduzida por Atenção Plena, que consiste na ideia de se buscar manter a atenção plena no momento presente , sem julgamento , sem censura e sem críticas.

Existem várias técnicas de Mindfulness, com duração entre 1 e 3 minutos ou mais.

No link abaixo, você poderá ouvir uma meditação de 3 minutos muito eficaz:

A metodologia do Mindfulness consiste em ser uma adaptação da meditação budista para o ocidente. Assim, as técnicas de meditação adaptadas possuem um caráter lúdico, dinâmico e rico em variações. Você não precisa ficar sentado de olhos fechados para exercitar a Atenção Plena. Você pode meditar andando, comendo, falando, cozinhando, ou seja, buscando focar a sua atenção no aqui e no agora.

A ideia é tentar buscar o foco e atenção no momento presente, mas se você não conseguir não tem problema. O objetivo é voltar a atenção para o momento presente sempre que possível.

O texto abaixo é retirado das obras dos autores: Jon Kabat-Zinn, Mark Williams, John Teasdale, Zindel Segal Daniel Goleman, Richard Davidson

#MINDFULNESS e #INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

“Às vezes temos a sensação de que o que está faltando, no fundo, somos nós próprios – nossa disposição para aproveitar a existência de forma plena, agindo como se ela realmente importasse, vivendo o único momento que temos de fato: o presente. Esta é uma intuição transformadora.

A atenção plena (Mindfulness) consiste em observar sem criticar e em ser compassivo consigo mesmo.


Quando a infelicidade e o estresse ocupam sua cabeça, em vez de levá-los para o lado pessoal, você aprende a tratá-los como se fossem apenas nuvens negras e a observá-los com curiosidade enquanto se afastam.


Em essência, a atenção plena permite que você capte os padrões dos pensamentos negativos antes que eles o lancem em uma espiral descendente.


Esse é o início do processo para retomar o controle de sua vida.
Os benefícios da meditação da atenção plena


Estudos mostram que os meditadores regulares são mais felizes e satisfeitos do que a média das pessoas. Esses resultados têm uma importante repercussão na saúde, já que as emoções positivas estão associadas a uma vida mais longa e saudável.
A ansiedade, a depressão e a irritabilidade diminuem com sessões regulares de meditação.


A memória melhora, as reações se tornam mais rápidas e o vigor mental e físico aumenta.


Os meditadores regulares têm relacionamentos melhores e mais gratificantes.
Estudos feitos no mundo todo comprovam que a prática da meditação reduz os principais indicadores do estresse crônico, incluindo a hipertensão.


A meditação é eficaz também para reduzir o impacto de doenças graves, como dor crônica e câncer, podendo até auxiliar no combate à dependência de drogas e álcool.
Além disso, pesquisas indicam que a meditação fortalece o sistema imunológico, ajudando a combater resfriados, gripe e outras doenças.”

Jon Kabat-Zinn, Mark Williams, John Teasdale, Zindel Segal
Daniel Goleman, Richard Davidson