COMO CHEGAR AO SIM COM VOCÊ MESMO

MBA Coaching e Inovação – PUC Minas

Disciplina: Gestão de Conflitos Professor: Paulo Antônio Almeida
Autora Aluna: Paula Izis Moreira Melo

No livro, Como Chegar ao Sim com Você Mesmo, o Autor William Ury
aborda o tema como um primeiro passo para uma negociação, conflito ou
conversa difícil.

Nesse contexto, antes mesmo de se apresentar perante a negociação
perante outras pessoas, empresas ou em uma situação de conflito, o Autor
demostra que a primeira negociação deve ser feita entre nós e nós mesmos,
afinal, nas palavras do próprio William Ury, “como esperar chegar ao sim com os
outros, se não conseguimos, antes, chegar ao sim com nós mesmos”. Esta,
portanto, é uma pergunta chave.

Seguindo este raciocínio, o Autor nos apresenta uma questão
bastante pontual, mas que serve de pontapé inicial para a busca do sim com nós
mesmos, ou seja, o fato de que nossos maiores adversários somos nós mesmos.
A par disso, o Autor ainda aponta que o nosso maior obstáculo ao sucesso, pode
ser nossa melhor oportunidade, o que somente pode ser vista e assim estendida,
se chegarmos ao sim com nós mesmos, por meio de seis passos desafiadores,
quais sejam, coloque-se no seu lugar; descubra sua Batna interior; reenquadre
seu panorama; mantenha-se no presente; respeite os outros; saiba dar e
receber. Trata-se, assim, de uma jornada circular, e, uma das metas mais difíceis
de serem alcançadas.

Em momentos de conflitos, sejam eles quais forem, responder a
perguntas como, o que você realmente quer? e o que, neste momento, você
mais quer da vida?, pode ser a chave para o início da busca do sim com você
mesmo, na medida em que muitas vezes permanecemos em conflito,
exatamente, por não sabermos onde queremos chegar. Não obstante, “se
colocar no lugar do outro” é uma habilidade essencial em momentos de
negociação, já que, sendo a negociação um exercício de influência, de tentar
mudar a posição de alguém, conhecer as aspirações da outra pessoal, é um
diferencial, lembrando, apenas, que este processo deve ser realizado
observando as diretrizes básicas, sem censura, sem julgamentos e sem crítica.

Dessa forma, muitas das vezes, não damos atenção a nós mesmos,
o que se passa em nosso interior e lutamos contra aquilo que realmente
queremos por demandar uma transformação dolorosa e difícil, afinal não é tarefa
fácil mudar, assim como não é um tarefa fácil chegar ao sim consigo mesmo, o
que é bem retratado no texto. Sair do autojulgamento para o autoconhecimento
talvez seja nossa tarefa mais desafiadora, mas que certamente, é a que nos trará
maiores benefícios a longo prazo, nas negociações interpessoais e profissionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *